CONCEITO

Projecto de um 'monte' contíguo a outros 'montes', que assenta no conceito de simplicidade, clareza, conforto e contínua diversidade. Formas suaves e naturais, numa aparente austeridade repetida, evocam as subtis diferenças construtivas do Alentejo e a constante presença visual de Montemor. 

ORGANIZAÇÃO

O projecto tem em consideração a aproximação ao núcleo por dentro, a visualização do conjunto a partir das cotas altas e a constante presença visual de Montemor. Casas de diversas tipologias, arrumadas à volta de um corredor de distribuição, e geometrias estritas entrecortadas
por pátios de 'frescos' que dão profundidade e luz coada ao conjunto. 

A componente ambiental está presente de diversas maneiras, nomeadamente, pelo recurso a formas naturais de climatização. Um canal-anel subterrâneo, com ramais secundários, interligado a todas as habitações, permite um constante fluxo de ar que será, sustentavelmente, “varrido” ou bloqueado no interior de cada habitação, permitindo maior frescura ou manutenção de calor. 

MATERIAIS E ACABAMENTOS

O corpo das habitações será constituído por alvenaria de tijolo isolado, ventilado, rebocado e estanhado.

Pavimentos em tijolo burro da região, lambrins das zonas de água em azulejo do tipo viúva Lamego e pedra da região.

Vãos exteriores e interiores em madeira para pintar.